Especialistas em segurança enfrentam ameaças cibernéticas recordes

A Trend Micro, líder mundial em soluções de cibersegurança, lançou uma nova pesquisa que revela o crescente risco de ataques à infraestrutura digital das empresas. Com nível maior de profissionalização e adoção de novas estratégias, os criminosos estão investindo contra organizações e seus colaboradores, selecionando os alvos de modo a obter maior vantagem financeira.

“Os hackers estão sempre trabalhando para aumentar o número de vítimas e o lucro, seja por meio da quantidade ou da eficácia dos ataques”, disse Jon Clay, vice-presidente de Inteligência de Ameaças da Trend Micro. “A amplitude e a profundidade de nossa inteligência global de ameaças nos permite identificar mudanças na forma como os agentes mal-intencionados visam suas vítimas em todo o mundo. Nossa pesquisa mostra que, embora as detecções de ameaças da Trend Micro tenham aumentado 42% em comparação ao ano anteriortotalizando94 bilhões de ameaças em 2021, elas encolheram em algumas áreas à medida que os ataques ficaram mais direcionados”, completa.

Os hackers estão mudando seu foco para empresas e setores críticos com maior probabilidade de pagamento do resgaste, usando táticas de dupla extorsão para aumentar a lucratividade. As ofertas de Ransomware as a Service (“ransomware como serviço”, ou RaaS) também abriram o mercado para invasores com conhecimento técnico limitado – ao mesmo tempo que deram espaço para uma maior a especialização, como os corretores de acesso inicial formando uma parte essencial da cadeia de suprimentos de crimes cibernéticos.

Os criminoso também estão explorando cada vez mais os erros humanos para comprometer a infraestrutura em nuvem e o trabalho remoto. A ferramenta Trend Micro Cloud App Security (CAS) detectou e evitou 25,7 milhões de ameaças de e-mail em 2021, um crescimento de quase 54%em comparação com 2020, quando o volume de tentativas de phishing chegou a 16,7 milhões. Pesquisas mostram que os colaboradores que trabalham no modelo home office costumam correr mais riscos do que os que atuam no escritório, o que torna o phishing um risco particular.

Ver mais: Direct to Consumer: uma revolução no relacionamento com o consumidor

Na nuvem, os sistemas configurados incorretamente continuam a preocupar as organizações. Serviços como Amazon Elastic Block Store e Virtual Machine do Microsoft Azure estão entre os que tiveram taxas de configuração incorretas relativamente altas. A Trend Micro também descobriu que as APIs REST do Docker são frequentemente mal configuradas, expondo-as a ataques de grupos como o TeamTNT, que implantam malware de mineração de criptografia nos sistemas afetados.

Embora as ameaças via e-mail corporativo (Business Email Compromise, BEC) tenham caído 11%, a ferramenta CAS bloqueou uma porcentagem maior de ataques avançados desta modalidade, que só foram detectados graças à comparação do estilo de escrita do invasor com o do pretenso remetente. Esses ataques representaram 47% de todas as tentativas de BEC em 2021, contra 23% em 2020.

A pesquisa da Trend Micro mostra, ainda, que 22% das explorações vendidas no submundo do crime cibernético no ano passado tinham mais de três anos. A correção de vulnerabilidades antigas continua sendo uma tarefa essencial para evitar ataques cibernéticos e garantir uma forte postura de segurança, assim como o monitoramento de novas ameaças.